Coaching em meio ao lixo

Coaching em meio ao lixo

18 de junho de 2018 Blog 0

Esses dias recebemos o cônsul geral do Japão para uma visita técnica. Fomos lá no local do evento e eles ficaram medindo os batentes das portas, a medida dos corredores, o número de passos entre o elevador e a sala, a altura do andar. Coisa típica de japonês, sabe? 
Japoneses são extremamente meticulosos e atenciosos nas coisas pequenas, naquelas esdrúxulas mesmo e simplesmente odeiam imprevistos, ainda mais quando estamos falando na potencial vinda de um membro da família imperial. Então essa provavelmente foi a primeira de umas 30 visitas e reuniões, e estamos acostumados com isso.
Entretanto, algo inesperado ocorreu. A visita era na sala 211, 210, 209, e por final, na sala 208. E o que eles encontraram quando abriram a sala 208 foi algo assim, mas bem piorado. Quando acendemos a luz….OHMYGOD! 

Esse era o lado MENOS sujo da sala. Eu fiquei tão enojada que sinceramente, não tive condições de fotografar o outro lado. Senti vergonha de ser brasileira, na frente do cônsul geral do Japão, e abrir a porta de uma sala tão suja e nojenta. Eles estavam literalmente fazendo a reunião no meio do LIXO. E eu fiquei do lado de fora pensando “meu deus, como tem gente sem noção no mundo!!!”.

O meu sentimento de vergonha não era nem porque o cônsul é representante máximo do governo japonês aqui em São Paulo, acompanhado pelo vice-consul e todo seu staff. A minha indignação é saber que existe gente que acha NORMAL fazer um evento e sair da sala e deixar tudo horrivelmente sujo, achar que isso é normal e aceitável, porque afinal, estão pagando o aluguel e outra pessoa vai fazer a limpeza. Isso é completamente abominável! Mas, espera, vai ficar pior!

Depois eu fui falar com o diretor e perguntei: do que era esse evento de gente tão porca?? E PASMEM: era um evento de COACHING. Mais especificamente, de formação de coaches. Fico pensando no tipo de coaches que foram formados nessa porcalhada. Qual a linha de atuação moral e ética desses novos profissionais? Qual o respeito que eles tem pelas outras pessoas? Como confiar num coach que sai de um evento e deixa a sala absolutamente detonada, e acha isso normal?

O diretor ainda tentou explicar que ao final do evento, os participantes fizeram um “ritual de libertação” e por isso jogaram todo aquele lixo na sala. Na minha opinião, foi uma libertação da educação e do respeito pelo outro. Porque isso não se faz. Por mais que você contrate uma pessoa para fazer limpeza do seu evento, é sacanagem largar a sala daquele jeito! A gente costuma juntar todo lixo nos sacos, deixar tudo organizado, mais ou menos limpo e arrumado, e depois sair. Somos bobos? Isso é respeito pelo próximo. Isso é vida em sociedade civilizada. E sabe o que é pior? Quando estávamos já saindo da sala, todo mundo meio abalado pela cena da reunião em meio do lixo…vi que estava chegando o faxineiro. Só no final da reunião. Isso (também) é ser brasileiro. =(

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *